19.1.15

Electric Boogaloo: The Wild, Untold Story of Cannon Films

(2014, Dir.: Mark Hartley)


★★★★★

Para quem cresceu nos anos 80 e se apaixonou pela arte cinematográfica frequentando locadoras de VHS, a Cannon Films era mais importante do que qualquer nouvelle vague. A companhia criada pelos primos israelenses Menahem Golan e Yoram Globus era sinônimo de filmes exploitation com muitos tiros, peitos, roundhouse kicks, sangue, peitos, pancadaria, humor, peitos e cópias descaradas e de baixo orçamento de grandes sucessos hollywoodianos. Lançado em VHS por aqui pela saudosa América Vídeo, o catálogo da Cannon foi o mais próximo que eu, nascido no interior de São Paulo no final dos anos 70, tive do padrão Grindhouse de cinema.

15.1.15

The Walking Dead - Terceira Temporada

(2012, de Glen Mazzara)


★★★

Recapitulando: "The Walking Dead" começou com um piloto muito bom mas depois caiu bastante enquanto seus personagens procuravam um sentido na vida em uma Atlanta infestada de zumbis.

14.1.15

Hannibal - Segunda Temporada

(2014, de Bryan Fuller)


★★★★★

A segunda temporada de "Hannibal" supera a primeira em todos os sentidos, principalmente ao dar mais peso para Will Graham (Hugh Dancy). Se antes ele era uma espécie de Thiago Silva (2014), o capitão desequilibrado diante de uma pressão absurda, agora que está preso, traído e desacreditado, Will é um Romário (1994) chamando para si a responsabilidade da partida, de cabeça erguida como só os grandes craques são capazes de fazer. O novo Will sabe manipular, ironizar e sabe que, para encarar Hannibal Lecter (Mads Mikkelsen), ele vai ter que jogar com outras regras.

30.12.14

23.12.14

Retrospectiva 2014: Séries do Ano

Não tive paciência para calcular a carga horária, mas provavelmente 2014 foi o ano em que gastei mais tempo com séries do que com filmes, graças ao fato de ter abraçado o streaming (Netflix) também neste segmento, assim como aconteceu com a música. Antes das listas, relembre uma singela homenagem aos showrunners no Top Homens Difíceis.

18.12.14

Operação Invasão 2

("The Raid 2: Berandal", 2014, Dir.: Gareth Evans)


★★★

O primeiro "The Raid" era punk rock, o segundo é uma ópera. O primeiro era uma paulada que parecia durar uns 3 minutos, agora tudo é grandioso, suntuoso, épico. Fora daquele prédio sujo, os cenários cresceram, a trama cresceu, o filme, pelo menos na duração, cresceu: a sequência tem 50 minutos a mais que o original.

17.12.14

Sons of Anarchy - Primeira Temporada

(2008, de Kurt Sutter)


★★★★

O episódio final de "Filhos da Anarquia", exibido há poucos dias lá fora, teve a maior audiência do FX em sua história. Justo, já que o canal surgiu por aqui com um posicionamento focado no público masculino e nada pode ser mais macho que uma série sobre uma gangue de motoqueiros traficantes de armas. Um universo de Harleys, cervejas, tatuagens, cicatrizes, jaquetas de couro, mulheres peitudas, brigas de bar, muita camaradagem e rígidos códigos de honra.

8.12.14

Retrospectiva 2014: Discos do Ano

2014 foi o ano em que abracei o streaming, gastando meu Deezer pago e meu Spotify gratuito. Passei o ano estudando e ainda não sei qual dos dois é melhor. Abaixo, todos os discos lançados que tentei ouvir pelo menos uma vez, em uma ordem baseada em critérios absolutamente pessoais que não vou nem tentar explicar. Como aquecimento, relembre as 11 playlists do Deezer para ouvir antes de morrer e o ranking do ano passado. Agora sim, vamos ao que interessa:

14.11.14

The Americans - Primeira Temporada

(2013, de Joe Weisberg)


★★★★

A existência de uma série de espionagem que se passa em plena Guerra Fria já é motivo suficiente pra todo mundo deixar as reviravoltas de "Homeland" pra lá. Além do tema, "The Americans", do FX, tem outras semelhanças com a premiada série do Showtime: uma ex-estrela teen lutando para ser reconhecida como atriz madura (Keri Russell, a eterna "Felicity"), a locação (Washington), a paranoia constante e uma filha adolescente chata que se mete em confusões. Mas o charme da Era Reagan (quem diria que isso chegaria a existir?) e um cuidado especial ao retratar relacionamentos complexos sem descambar para o romance de Sidney Sheldon que virou a saga de Carrie Mathison fazem toda a diferença.

9.11.14

Boyhood - Da Infância à Juventude

("Boyhood", 2014, Dir.: Richard Linklater)


★★★★★

12 anos de filmagem acompanhando o crescimento do garoto Mason (Ellar Coltrane), como explica o desnecessário subtítulo brasileiro, da infância à juventude. "Boyhood" deve ser o primeiro filme da história a ter o seu making of usado como slogan, além, é claro, de ser pioneiro no ousado conceito.