24.2.15

Arquivo X - Sétima Temporada

("The X-Files", 1999-2000, de Chris Carter)


★★★

Leia sobre a temporada anterior aqui.

A sétima temporada de "Arquivo X", marcada pela virada do milênio, foi onde tudo desandou de vez. Conflitos de egos, relatos de brigas entre David Duchovny e Gillian Anderson, esgotamento de temas, enfraquecimento da mitologia e uma sensação de que todos estavam tão de saco cheio que resolveram aproveitar o fim da festa para chutar o balde de vez. Os astros até ganharam um episódio cada para escrever, dirigir e desenvolver novos talentos, enquanto os capítulos isolados continuaram dependendo da criatividade de Vince Gilligan para brilhar.

20.2.15

Top Oscar 2015

Este top é uma homenagem à metalinguagem de "Birdman (ou qualquer que seja aquele subtítulo pretensioso)" e à sua crítica ácida ao recalque dos críticos, ao mundo moderno das redes sociais e a tudo mais que ele tenta atingir em nome da arte. A propósito: não se esqueça de participar do Bolão Oficial do Oscar e de clicar em "Play with friends" para concorrer com seus amiguinhos de Facebook.

9.2.15

House of Cards - Segunda Temporada

(2014, de Beau Willimon)


★★★

Atenção: este texto pode conter spoilers.

A primeira temporada já dava algumas pistas, mas é no começo da segunda que fica tudo evidente: "House of Cards" tenta ser inteligente mas não quer perder contato com o espectador médio, aquele que não entende muito bem todo o jogo político mas acha o máximo as piscadelas que o Frank Underwood (Kevin Spacey) dá para a câmera.

19.1.15

Electric Boogaloo: The Wild, Untold Story of Cannon Films

(2014, Dir.: Mark Hartley)


★★★★★

Para quem cresceu nos anos 80 e se apaixonou pela arte cinematográfica frequentando locadoras de VHS, a Cannon Films era mais importante do que qualquer nouvelle vague. A companhia criada pelos primos israelenses Menahem Golan e Yoram Globus era sinônimo de filmes exploitation com muitos tiros, peitos, roundhouse kicks, sangue, peitos, pancadaria, humor, peitos e cópias descaradas e de baixo orçamento de grandes sucessos hollywoodianos. Lançado em VHS por aqui pela saudosa América Vídeo, o catálogo da Cannon foi o mais próximo que eu, nascido no interior de São Paulo no final dos anos 70, tive do padrão Grindhouse de cinema.

15.1.15

The Walking Dead - Terceira Temporada

(2012, de Glen Mazzara)


★★★

Recapitulando: "The Walking Dead" começou com um piloto muito bom mas depois caiu bastante enquanto seus personagens procuravam um sentido na vida em uma Atlanta infestada de zumbis.

14.1.15

Hannibal - Segunda Temporada

(2014, de Bryan Fuller)


★★★★★

A segunda temporada de "Hannibal" supera a primeira em todos os sentidos, principalmente ao dar mais peso para Will Graham (Hugh Dancy). Se antes ele era uma espécie de Thiago Silva (2014), o capitão desequilibrado diante de uma pressão absurda, agora que está preso, traído e desacreditado, Will é um Romário (1994) chamando para si a responsabilidade da partida, de cabeça erguida como só os grandes craques são capazes de fazer. O novo Will sabe manipular, ironizar e sabe que, para encarar Hannibal Lecter (Mads Mikkelsen), ele vai ter que jogar com outras regras.

30.12.14

23.12.14

Retrospectiva 2014: Séries do Ano

Não tive paciência para calcular a carga horária, mas provavelmente 2014 foi o ano em que gastei mais tempo com séries do que com filmes, graças ao fato de ter abraçado o streaming (Netflix) também neste segmento, assim como aconteceu com a música. Antes das listas, relembre uma singela homenagem aos showrunners no Top Homens Difíceis.

18.12.14

Operação Invasão 2

("The Raid 2: Berandal", 2014, Dir.: Gareth Evans)


★★★

O primeiro "The Raid" era punk rock, o segundo é uma ópera. O primeiro era uma paulada que parecia durar uns 3 minutos, agora tudo é grandioso, suntuoso, épico. Fora daquele prédio sujo, os cenários cresceram, a trama cresceu, o filme, pelo menos na duração, cresceu: a sequência tem 50 minutos a mais que o original.

17.12.14

Sons of Anarchy - Primeira Temporada

(2008, de Kurt Sutter)


★★★★

O episódio final de "Filhos da Anarquia", exibido há poucos dias lá fora, teve a maior audiência do FX em sua história. Justo, já que o canal surgiu por aqui com um posicionamento focado no público masculino e nada pode ser mais macho que uma série sobre uma gangue de motoqueiros traficantes de armas. Um universo de Harleys, cervejas, tatuagens, cicatrizes, jaquetas de couro, mulheres peitudas, brigas de bar, muita camaradagem e rígidos códigos de honra.